domingo, 14 de junho de 2009

" OS AMORES E PODERES DAS BELAS FADAS "



Texto de Lilly Rose - Adaptado dos estudos de Lilly Rose, H. Gerenstadt, Avalon e o Graal, Editora Madras e William Shakespeare, Tragédias (Romeo and Juliet), Editora Abril.
Imagem 1 Fonte: www.renderosity.com - Imagem 2 Fonte: www.google.com - Imagem 3 Fonte: www.google.com ( Romeo and Juliet, Filme de Franco Zeffirelli - Ano 1968)

OS AMORES E PODERES DAS BELAS FADAS

Notório é dentro do Esoterismo, que Elementais são tão ou mais antigos que a própria existência do Ser Humano. Também é fato corrente que as Fadas, de longe são os Seres Etéricos mais apreciados pelo Mundo Mortal.
A Origem das Fadas perde-se no tempo e no espaço, quando tentamos compreendê-la mais aprofundadamente. Mas não há como negar que os relatos mais consistentes sobre estas fantásticas criaturas mágicas, surgiriam com a Civilização Celta ( 1.800 Anos A.C aproximadamente ), nas terras da antiga Bretanha.

Mestras da Magia, as Fadas passaram então a simbolizar poderes paranormais do Espírito e capacidades Mágicas incontestáveis para a imaginação Humana.

Famosas por sua vaidade e temperamento instável, as Fadas seriam detentoras de extraordinárias transformações e proezas. Contudo, num instante conseguiriam satisfazer ou decepcionar os mais ambiciosos desejos Humanos(?).

Analisando-as por um prisma estritamente psicológico, talvez sua instabilidade, represente a capacidade que o Homem apresenta em construir ou destruir, através de sua imaginação, idealizar projetos exequíveis ou não.

BANSHEE - A FADA IRLANDESA DETERMINADA E APAIXONADA

Uma das Fadas mais populares do Ocidente é a Fada Banshee, da qual Fadas de outros Países Célticos são equivalentes, portanto inclusas num conceito semelhante.
De início a imagem de uma Fada, personagem que indissoluvelmente confunde-se com a figura da Mulher, é considerada por nós como uma Mensageira do Mundo Invisível ou Etérico. A maioria das Fadas costumam viajar sob a forma de Pássaros, preferencialmente Cisnes.

A Fada Banshee seria um Ser dotado de pura Magia. Não estaria submetida às limitações das três Dimensões conhecidas. Quando apaixonada por um Mortal ( aliás, as Fadas não experimentam este belo Sentimento de forma tão intensa com seus companheiros Etéricos, sua preferência romântica por Homens do Reino Visível é notória ) Banshee entrega uma maçã ou um galho ao seu eleito. Tais presentes apresentarão então, qualidades extremamente poderosas da Fada, pois neles ela impregna todo o seu Amor, a maior Magia dos Reinos Mortal e Etérico.

Dizem as antigas Lendas Celtas, que nem o mais poderoso dos Druídas ( os Sumos Sacerdotes da Civilização Celta ), conseguiriam reter o Homem que por Banshee fosse escolhido para seu Amor. E quando a Fada afastava-se temporariamente de seu Amado, este caía em estado de prostração, até que ela retornasse aos seus braços.

ROMEU E JULIETA,UNIDOS SOMENTE NO REINO DAS FADAS ?


Em toda a História de nossa Civilização o único Mortal que talvez tenha melhor entendido a Natureza das Fadas foi o Poeta Inglês William Shakespeare ( 1564 - 1616 ).
Em uma de suas mais conhecidas e belas Tragédias " Romeo and Juliet ", Shakespeare descreveu magnifica e poeticamente a Ambivalência de uma Fada, capaz de quando gravemente ferida em seus sentimentos, transformar-se em Feiticeira, ou Portadora de maus Presságios.

Para melhor entendermos esta analogia seguem-se aqui versos que integram o diálogo entre Mercúrio e seu primo Romeu Montechio, ao encaminharem-se para a Festa ( ou como antigamente era chamada " Mascarada " ) na Casa dos Capulletos. Festa, esta na qual Romeu conheceria sua amada Julieta.


" ROMEU - Temos boa intenção, indo a esta Mascarada, mas constitiu uma falta de Juízo.

MERCÚRIO - Por quê ? Pode-se saber ?

ROMEU - Tive um Sonho esta noite...

MERCÚRIO - E eu outro.

ROMEU - Bem, qual foi o teu ?

MERCÚRIO - Que os Sonhadores quase sempre mentem !

ROMEU - No leito dormem sonhando coisas verdadeiras.

MERCÚRIO - Oh ! Vejo pois, que já estivestes contigo Mab, a Rainha das Fadas ! Ela é a parteira das ilusões e chega em tamanho menor que a pedra de uma Ágata.
Que brilha no dedo indicador de um conselheiro municipal, arrastada por minúsculos Corcéis, a passear pelas narinas dos Enamorados enquanto estão a dormir."

....Esta é a mesma Mab, que trança a crina dos Cavalos à noite e cola as grenhas ( cabelos ) dos Duendes em sujos e feios nós, que uma vez desemaranhados, prognosticam grandes desgraças..."

WILLIAM SHAKESPEARE - ROMEO AND JULIET - ATO I. CENA 4

O.B.S: Este talentoso Poeta inglês abordou diversas vezes o fascinante Mundo das Fadas, como em Sonetos e em uma de suas mais graciosas Comédias " Sonhos de Uma Noite de Verão ", igualmente transformado em Filme em 1989, com a atriz Michelle Pfeiffer no papel da Bela Fada Titânia, Direção de Michael Hoffman.

Após refletirmos sobre os devaneios poéticos de Mercúrio, poderíamos nos perguntar:

Teria Mab a Rainha das Fadas, alertado ou iludido Romeu, despertando em seu coração o incontrolável Amor por sua Bela Julieta ? A resposta está em seu Coração !


Aromas de Rosas Brancas...

Lilly Rose