domingo, 22 de junho de 2008

LANCELOT DU LAC - O PROTEGIDO DAS FADAS


Texto adaptado de H. Gerenstadt, " Avalon e o Graal e outros Mistérios Arturianos", Editora Madras.
Imagem Fonte : www.hosterdjack.com

Dentro das Lendas Arturianas, um dos personagens mais polêmicos e sedutores, sem dúvida foi o belo Cavaleiro Lancelot du Lac.

Lancelot também tem suas raízes ligadas ao Sobrenatural e em especial, às Fadas.
Filho de um grande nobre, o Rei Ban, cujo nome significa "desterro", o então menino Lancelot foi chamado pela Fada Vivianne, a Dama do Lago a converter-se no Melhor Cavaleiro do Mundo.
Após a morte de seu pai, Lancelot foi levado para as profundezas do Grande Lago, para viver no Castelo da Fada Vivianne. A Dama do Lago iniciou então Lancelot em seu aprendizado mágico instruindo-o nos Deveres da Cavalaria e preparando-o para cumprir seu Destino e Profecia.
Lancelot passou sua adolescência criado sob as Águas por Seres Sobrenaturais, como as Fadas e também por um Lenhador para saber atuar na terra ou superfície.
Desta forma prosseguia sua educação... Todos os dias era levado à Terra para que o Lenhador lhe ensinasse a caçar, andar à cavalo e a utilizar armas.
Um dia, Lancelot soube da existência do Grande Arthur e seus Cavaleiros e apaixonado pela idéia de servir a tão nobre Rei, o belo jovem não sossegou até que a Dama do Lago lhe permitisse partir em direção à Camelot.
Sabendo que era este seu Destino, Vivianne consentiu com sua partida, mas não antes de prepará-lo como a um verdadeiro Príncipe. Vestiu-o com a mais bela armadura de Prata jamais vista acompanhada de uma macia Capa branca de Seda, e encaminhou-o à Corte do Rei Arthur, a quem pessoalmente solicitou a admissão de Lancelot na Irmandade.
A partir daí nasceria entre Arthur e Lancelot uma amizade inigualável e não tardou para que o "afilhado" da Dama do Lago se tornasse o melhor e mais invejado dos Cavaleiros do Reino.

A Simbologia de Lancelot no Esoterismo é extremamente clara, criado entre as Águas pelas Fadas, criado na Terra por um Lenhador. As Fadas representariam a Magia, o Amor Profundo e Oculto que nasceria neste valoroso Cavaleiro pela Bela Rainha Guenevière, um Amor tão forte e incontrolável como a força das Águas que lhe criaram. Estas mesmas foças sobrenaturais atribuíram também a Lancelot um caráter firme e obstinado. O Lenhador representaria simbólicamente a Madeira, da lenha e do Fogo que atuam sobre a Água. A ação do Fogo sobre a Madeira, simboliza " Sabedoria e Morte ".
Por todas estas razões nos Estudos Esotéricos ,Lancelot representaria em primeiro lugar o " Oculto ", o " Profundo ", as Forças do Inconsciente Coletivo manifestando-se na Consciência, e em segundo lugar a" Sabedoria" que estas mesmas forças simbolizam.
Mas o Fogo deste Nobre Cavaleiro era Terrenal e o levaria fatalmente ao caminho da Paixão e da Destruição. E assim de fato foi , pois seu Amor proibido por Guenevière levaria Lancelot a sua completa destruição...

Seu nome também apresenta uma simbologia fascinante e ligada ao seu Caráter e Destino: "Lance" significa lança," Celt" signific Celta, e " Lot " do inglês "Klot" significa parte, indivíduo. Enfim, Lancelot seria o " Homem da Lança Celta ".
A Lança antes de tudo é um símbolo Místico e de Poder, por isso Lancelot foi durante algum tempo considerado o Protótipo, o Exemplo do Cavaleiro Justo, Forte e Leal, que sentava-se honrosamente à direita de Arthur.

A MORTE EM VIDA DO APAIXONADO LANCELOT
Certa feita, Lancelot e os demais Cavaleiros tiveram a Honra de ver o Santo Graal, que ficava guardado no Reino de Sir Pelles, no Mágico Castelo " Venturoso".
O Graal surgiu diante dos Cavaleiros por entre as delicadas mãos da filha de Rei Pelles, a bela Elaine de Corbenic, ou a Virgem Protetora do Graal. Todos admiraram aquele momento Sagrado, menos Lancelot que só tinha olhos para Elaine, donzela extremamente bela e de fato muito parecida com sua amada Guenevière.
O Graal concedeu a cada um dos presentes aquilo que seu coração mais ansiava, passando ao largo do obcecado e apaixonado Lancelot, que sequer enxergou o Santo Cálice.
Ferido e alucinado por não ter sido agraciado pelo Graal, Lancelot seguiu a bela Elaine até unir-se carnalmente à ela, vendo apenas diante de seus olhos sua querida Guenevière.

Este Amor Sacríleco com a Virgem do Graal fez com que Lancelot fugisse envergonhado do Castelo, e totalmente desnorteado foi então seduzido pela irmã de Arthur, a Fada Morgana, a quem também imaginou ser Guenevière que o aguardasse.

Assim o Bravo e Valoroso Lancelot du Lac, que estava destinado a ser o Melhor Cavaleiro do Mundo, foi vítima de uma cega e proibida paixão e de seu orgulho.
Transformou-se em um indígno de contemplar o Santo Graal. Caiu portanto, da posição de Cavaleiro à mendigo e andarilho. Seu destino final ainda é um mistério dentro das próprias lendas Arturianas ...
Antigos relatos afirmam que a Dama do Lago apiedou-se de seu pupilo e levou-o de volta para as profundezas das Águas. Outros Manuscritos igualmente antigos afirmam que o atormentado Lancelot passou o resto de seus dias em perfeito anonimato e miséria, ajudando seus semelhantes e auto-flagelando-se constantemente pedindo perdão ao Todo Poderoso por seus pecados...

Aromas de Rosas...
Lilly Rose